“Todos nós temos nosso dias de acordar com o pé esquerdo.“
Quem é você, Alasca?

“Eu queria ser seu último amor. Mas sabia que não era. Sabia e a odiava por isso. Eu a odiava por não se importar comigo. Eu a odiava por ter me deixado naquela noite. E odiava a mim mesmo por tê-la deixado ir embora, porque, se eu tivesse sido suficiente, ela não teria querido ir embora. Simplesmente teria se deitado comigo, conversado e chorado. E eu a teria ouvido e teria beijado as lágrimas que caíam dos seus olhos.“
Quem é você, Alasca? 

“Não estou triste, mas devo admitir que de vez em quando sinto preguiça de existir. Deve ser aquela fase que você começa a se perguntar, e cada pergunta gera uma nova dúvida, a única certeza que eu tenho no momento, é o meu cansaço.“
Sean Wilhelm.

“As coisas vão ficar pesadas, você vai sofrer, vai cair, vai chorar muito ainda nessa vida, mas não se preocupe, no final tudo ficará bem, sempre fica.“
Mateus Sousa

“Olha eu aqui outra vez. Ninguém muda tanto assim.“
Gabito Nunes 

“Isso não é amor, isso é vício. Se todo dia você toma um choque na tomada de casa, vai acabar achando que precisa disso pra viver. Mude seu foco.“
Tati Bernardi.

“Ela é assim, um drama, um enigma, um teatro, uma arte.“
Isabela Freitas.

“Eu não duvido do poder da música. Em um dia preto e branco ela me colore. Em um momento de tristeza ela traz de volta um meio sorriso. Em uma situação delicada ela me socorre.“
Clarissa Corrêa. 

“Eu tinha apenas 17 anos, e queria que o mundo conspirasse ao meu favor, desejava viver um romance igual o dos livros, e queria que os sentimentos estivessem sempre presente nas músicas. Mas continuava deitada na cama esperando o tempo passar, na maioria das vezes dormindo.“
Libertarde

“14 De Novembro De 2008, onde tudo começou …
Eu tinha apenas 10 anos quando meus pais se separaram, tive que mudar de cidade e com isso tive que mudar de colégio perdendo os poucos amigos que demorei anos para fazer. Minha vida desde esse dia tem sido um inferno, não tenho amigos, e sou considerada a “estranha” do colégio. Por vários anos eu fui a “queridinha” dos meus pais, por vários anos levei uma vida perfeita,tinha tudo que eu queria, e não estou dizendo apenas de coisas materiais, estou dizendo de sentimento, tinha a atenção dos meus pais somente pra mim e aquilo me fazia um bem enorme. Não me sentia sozinha quando os tinha por perto. Meu pai com o passar de 1 ano após a separação se casou, e eu, bom eu fui ficando de lado, fui ficando cada vez mais esquecida. Meu pai que agora tinha outra mulher acabava que dando toda a atenção a ela e minha mãe que morava em outra cidade me ligava apenas nos fins de semanas, com o passar do tempo ela parou de ligar. Foi ai que me vi completamente sozinha. 16 de Outubro de 2011, o dia em que eu simplesmente não aguentava mais e então comecei com a alto mutilação, já sabia bastante coisas a respeito sobre isso. sabia que muitas pessoas acabavam mortas após seguirem esse caminho, mas eu não ligava, só queria acabar com o sofrimento ou apenas amenizar a minha dor que sambava de salto agulha em meu peito. Os dias continuavam os mesmos, já ia se passando 3 anos e eu não tinha nenhum amigo, minha única companhia era um livro velho e um cachorro que dormia o dia todo. Passava praticamente o dia todo sem falar com ninguém, estava até esquecendo a minha própria voz. Eu apenas falava com a minha madrasta e era apenas pra obedecer ordens dela. Mais um ano ia se passando e eu me via cada vez mais no fundo do poço, sentia falta dos meus pais, dos meus amigos, sentia falta de falar com alguém,sentia falta até da escola da antiga cidade. 07 De Janeiro De 2012, primeira tentativa de suicídio, fui pelo caminho de todos os suicidas, tomar vários remédios com bebida alcoólica. Não deu certo. Meu pai por incrível que pareça estava em casa no dia e por um descuido meu ele me viu caída no chão e me levou para o médico, passei dias internada. E naquele momento, ali no hospital quando vi meus pais olhando pra mim com desgosto eu percebi o quão inútil era, percebi que não era capaz nem de me matar. Juro, de todas as coisas que eu ja vivi a pior foi ter que ver meus pais me olhando daquele jeito. Mas os dias foram passando, então desde a tentativa de suicídio tenho sido marcada em postagens de morte no facebook, pessoa me marcando em fotos de veneno,cortes, em fim tentei evitar isso.
15 De Abril de 2012, estava na escola e em uma distração na aula de história observei o quão falsos são as pessoas que convivem comigo. Muitas das pessoas que estavam ali naquela sala de aula não eram felizes. Umas tinhas doenças, outras tinham problema de aceitação com o próprio corpo, outras sofriam de amor, todas de alguma forma tinham um problema e mesmo assim estavam com um sorriso no rosto e fingindo ser feliz. O que eu não entendia era o porque que elas humilhavam as outras pessoas, porque muitas delas se achavam superiores? e foi ai que eu entendi, elas apontavam defeitos nas outras pessoas para que todos e elas mesma esquecessem dos próprios defeitos. Mas mal sabiam elas que ao apontar 1 dedo pra alguém tinham 3 voltados para elas mesmas. O ano foi passando, continuava sozinha e sendo humilhada, sendo deixada de lado, tentava procurar uma forma de sair daquilo, tentava parar com a auto-mutilação mas isso ja tomara conta de mim e meu mundo ficava cada vez mais vazio, cada vez mais escuro, a essa altura ja tentara suicídio inúmeras vezes, todas sem sucesso. Então chegou um dia que eu acordei e escrevi uma lista de coisas que gostaria de fazer antes de partir, então passei a manhã toda escrevendo. Não fui a aula e não liguei quando a minha madrasta veio me xingar por isso,apenas fiquei ali escrevendo. Então o dia se passou, e no dia seguinte eu acordei as 10:00 hrs da manhã, não fui a aula de novo, peguei a minha lista e fiz cada coisa que tinha lá, e a cada coisa feita eu riscava. Fui na feirinha e comprei 50 reais só de doces, escrevi poemas, quebrei meu celular e meu computador, queimei todos os meus livros e roupas, xinguei o carinha que me enchia o saco, discuti com a garota da escola que se achava mais do que todo mundo, bati, apanhei, fiz cada coisa daquela lista, fiz exatamente tudo que eu queria fazer. Então no final do dia fui pra casa, meu pai não estava em casa como sempre e minha madrasta estava no telefone, nem percebeu que eu havia chegado, subi direto pro meu quarto, peguei um papel e uma caneta e comecei a escrever ” PARA MÃMÃE E PAPAI….
sei que nos últimos anos tenho dado mais tristeza do que alegria, na verdade só tenho dado tristeza, me desculpem por isso. Mas vocês não sabem o quanto eu sofri, não sabem o que eu passei na escola durante esses anos. Sabe, eu me vi completamente sozinha e sem amigos. Na escola eu não era escolhidas em times de futebol, não era escolhida pra fazer grupo com alguém, ficava sozinha no recreio, não que isso faça alguma diferença pra vocês mas pra mim fez, e muita. Eu tentei ser uma filha exemplar, na verdade não exemplar mas dei o meu melhor pra não decepcionar vocês, e foi em vão. Eu fiz de tudo para não decepciona-los mas no fim foram vocês mesmo que me decepcionaram. Você mamãe, você me abandonou quando eu tinha 10 anos, foi viver sua vida e me esqueceu, me mandava algum presentinho de natal achando que isso compensaria a falta que você me faz. E papai, você estava comigo todos os dias, mas era como se não estivesse ali, na verdade era como se eu não estivesse ali. Parecia que você não me enxergava, eu deixei de ser sua filha no momento em que você se casou. Sabe quantas vezes precisei de você? sabe quantas coisas eu queria ter feito ao seu lado? sabe o quanto eu senti sua falta papai? não você não sabe, porque em todas as vezes que você estava em casa você estava com aquela mulher, e claro que eu entendia que você precisava ser feliz, eu só não entendia o porque de você ter que me esquecer. A única coisa que eu precisava era de alguém do meu lado, perguntando se eu estava bem ou se precisava de algo, mas nem isso, nem isso você fez. Mas quero que saiba que eu desculpo vocês, desculpo por terem me deixado jogada por quase 5 anos, desculpo por terem deixado que eu fosse humilhada, por terem me deixado sozinha e principalmente por terem acreditado nesse meu sorriso idiota e falso que coloco todos os dias no rosto. Isso até chega a ser irônico não é? meus próprios pais não me conhecem, não são capazes de perceber quando o filho está bem ou não, mas tudo bem. Eu também quero pedir desculpas, me desculpem por isso, por desistir, eu sei que sempre me disseram “Não desista,não desista nunca,nenhum problema é motivo suficiente para que você deixe de lutar” mas eu acho que fui um grande problema não é? porque desistiram de mim. Então me vi no direito de fazer o mesmo,desculpe. Quero que saibam que todos os meus cortes, cada lagrima, cada ida naquele hospital, era um pedido de socorro, era um pedido de ajuda. Eu estava aqui, estava esperando você me ver, mamãe como eu esperei uma ligação sua dizendo que tudo ia ficar bem e que logo logo iriamos para casa. Papai, todos os dias esperava que você viesse ao meu quarto, pelo menos pra me dar um “boa noite”,coisas simples que vocês não foram capazes de fazer. Eu só queria que me ajudassem, queria que me salvassem desse nada que me tornei, mas vocês não vieram, vocês nem se quer se importaram em saber como eu estava. Esperar foi a coisa mais idiota que eu fiz, esperar algo das pessoas? então aqui vai uma dica, jamais espere algo de ninguém. Não quero que se sintam culpados, não quero que ache que isso aconteceu por vocês, porque foi por mim. Eu não aguentava mais, eu não conseguia mais lutar, eu tinha que fazer algo porque eu já tinha perdido a luta a muito tempo. Hoje é dia 12 de outubro de 2013, dias das crianças, um dia feliz pra mim, porque eu realmente fui feliz quando era criança, mas hoje, hoje me encontro com 14 anos e a beira de um suicídio, parabéns a você que inventou a “adolescência” você é um tremendo idiota e destruidor de sonhos, sinta-se culpado por isso. Eu amo vocês. E aqui vai um pedido de uma pessoa prestes a se suicidar: Mamãe quando tiver outra filha, cuide bem dela, e nunca a abandone. Papai, quando tiver um filho cuide bem dele, cuide bem do meu irmãozinho e não deixe ele acabar como eu. Lembre-se onde quer que eu esteja estarei olhando pra vocês, e tenham certeza que estarei em um lugar melhor, então não se preocupem…. Com amor, Anne.” Deixei a carta e a caneta sobre a mesa, entrei no banheiro e o que eu queria durante 5 anos, aconteceu… senti uma paz enorme, uma paz que durou pra sempre.“
demografar, 14 de novembro de 2008. O suicídio começa por dentro. 

@theme